quinta-feira, 28 de abril de 2011

Casamento: Lei natural da vida?

Nascer, crescer, desevolver, reproduzir e morrer.Sim, ainda concordo que essa é a lei natural da vida, faz certo sentido, com algumas ressalvas, é claro, mas o assunto é aqui é outro.Mesas e mesas de buteco, discussoes com proletários e burgueses, e uma variância enorme de seres, e ainda assim, algo é colocado como lei natural da vida: o casamento(não falo apenas de oficialização, amasiado também vale)A palavra lei e natural muitas vezes não sao explícitas, mas você entende a implicitude disso como uma lei nas simples perguntas que sempre recaem: "E aí, tá namorando?", ou quando o namoro já é longo "Quando pretendem casar"?. Alguns são mais machistas e perguntam pra moça : "Ele  não vai parar de te enrolar e te pedir em casamento não?". É. As pessoas pressupõe que o casamento é algo que deve acontecer como se fosse uma lei natural do relacionamento: conhecer, beijar,se relacionar, namorar, noivar, casar...Hm, se essa for a lei natural que todo mundo espera, a quantidade de infratores tá imensa não?!Não quero discutir o que é mais importante vir primeiro, se ovo ou a galinha, se o beijar ou conhecer, não, num é nada disso, a questão é, por que casar é algo obrigatório, normal, o que todo mundo espera?Não me responda que é por ser um sacramento, isso é uma resposta simplista e sem questionamentos.Vamos pensar.Eu tava numa igreja e aquele famoso sermão "Promete ser fiel na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando-lhe e respeitando-lhe até que a morte os separe?" E uma criança vai e pergunta pra sua mãe: Mãe, o que é ser fiel?A mãe explica.E a criança de repente, em 3 min, paralisa a sua mãe, o seu pai, as pessoas q estavam perto dela, e a mim, com a seguinte pergunta "Mãe, como eles podem prometer pra papai do céu que pode ser fiel pra sempre, se você falou que a gente só promete o que pode cumprir"? A criança, pressupos que eles não poderiam cumprir isso, sem saber que estatisticamente é comprovado que com 85% dos casais, acontece algum tipo de traição por pelo o menos um lado.Tô longe de querer fazer apologia a infidelidade, ou de não acreditar na fidelidade. Mas o fato é que uma criança de 7 anos já descobriu que o sermão: "Promete ser fiel na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando-lhe e respeitando-lhe até que a morte os separe?" tá fora da realidade e além de tudo é hipócrita.Que a cada 2 casais que casam, um se separa, sem nem seque a morte chegar perto disso.O negócio então é nao casar?Não prometer?Não sei.Só sei que o  casamento deveria ser algo menos quantitativo e mais qualitativo, que  acontecesse espontaneamente e a oficialização fosse so um detalhe, e as promessas fossem mais do tipo "Promete, lembrar que o outro não pertence a você, amadurecer juntos, fazer sexo sem pudores, se deixar conhecer e respeitar seu parceiro/parceira, independente de você tá com amor ou ódio?

Bárbara Cristina


Sugestão de leitura com o tema: Promessas de Casamento, by Martha Medeiros

quarta-feira, 27 de abril de 2011